quinta-feira, 26 de maio de 2016

Jota Quest virou heroi no Altas Horas

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Curso de formação de Educadores CEFES MG














quinta-feira, 19 de maio de 2016

Angra sedia Conferencia de Economia Solidaria

Angra sedia Conferência de Economia Solidária
Publicado em 01/04/2014, às 11h59
Última atualização em 01/04/2014, às 11h59


Divulgação
Reuniu representantes de vários segmentos cooperativistas
Evento: Reuniu representantes de vários segmentos cooperativistas

Angra dos Reis


A Prefeitura de Angra, juntamente com os fóruns municipais de economia solidária de Paraty, Itaguaí, Angra e Mangaratiba, realizou nesta sexta-feira, 28, a III Conferência Regional de Economia Solidária da Costa Verde, com o tema "Construindo um plano nacional de economia solidária para promover o direito de produzir e viver de forma associativa e sustentável". 

Estavam presentes representantes do governo, de movimentos sociais, cooperativas e demais associações que, de algum modo, relacionam-se com o tema. Compondo a mesa estavam o vice-prefeito Leandro Silva, representante do Fórum de Mangaratiba, Sérgio Trindade, o coordenador geral da Secretaria Nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho e Emprego, Ary Moraes, a deputada estadual Inês Pandeló, o vereador Eduardo Godinho, o secretário de Cidadania e Desenvolvimento Social de Ubatuba, Sérgio Maida, e o representante do Fórum Municipal de Economia Solidária, Luiz Caldas. 
A economia solidária se caracteriza por ser um modelo econômico e de produção que, em muitos aspectos, se distancia da lógica capitalista. Prioriza a ação e produção coletivas, a comunidade e a sustentabilidade. A economia solidária é uma forma de produção, consumo e distribuição de riquezas centrada na valorização do ser humano e não no capital. Tem base associativista e cooperativista e é voltada para a produção, consumo e comercialização de bens e serviços de modo autogerido. 
Para a deputada estadual Inês Pandeló, a economia solidária é muito importante, não só pela geração de renda, mas porque é uma mobilização solidária na construção de uma nova economia, no princípio da elaboração de uma nova sociedade. 
- Dentro da economia solidária há toda uma ação no sentido do respeito aos direitos das mulheres, do meio ambiente e também do trabalho coletivo. Então, eu penso que são valores importantes que devem ser incentivados nessa sociedade tão individualista e tão violenta. Proporcionar ainda condições para as pessoas gerarem renda, mostrarem o seu saber e a sua cultura. Isso é muito importante. Fico feliz por Angra estar organizada nesse sentido e por ver a prefeitura apoiando esse trabalho, assim como estamos fazendo na assembleia legislativa - disse Pandeló, que é presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Economia Solidária. 
Após a abertura da conferência, a comissão organizadora da região realizou a leitura para a aprovação do regimento interno da conferência municipal, com objetivos e metodologias e procedimentos para apreciação de propostas. Depois foram eleitos oito delegados e respectivos suplentes que participarão da Conferência Estadual. Correspondendo às diretrizes e objetivos de sua convocação, a conferência definiu ainda duas prioridades fundamentais para consolidar a economia solidária na região: a necessidade de elaboração de planos municipais e regional de economia solidária que atendam as demandas do movimento em múltiplas dimensões e a afirmação da economia solidária como política pública consolidada enquanto marco legal. 
Foram aprovadas também algumas demandas para que se constitua, enquanto marco legal, os planos municipais. Dentre elas estão a criação de centros públicos de referência regional e municipais, como forma de assegurar espaço de produção, comercialização, capacitação/formação técnica e cidadã aos empreendimentos de economia solidária; a criação da lei de fomento da economia solidária, constando um fundo para captação de recursos; a ampliação de cursos de capacitação/formação em economia solidária, inclusive para gestores ligados à prática; e a adoção de políticas públicas municipal e estadual para garantir a comercialização da produção da economia solidária pelos órgãos públicos. 
O vice-prefeito Leandro Silva disse que o poder público é um dos grandes parceiros desse segmento e frisou a importância da economia solidária na geração de emprego e renda. 
- A economia solidária vem se apresentado, de uma forma inovadora, como uma alternativa de geração de trabalho, além de ser uma resposta em favor da inclusão social. Estou muito feliz em estar aqui representando a nossa prefeita, que é uma admiradora desse setor. Vocês têm no poder público um grande parceiro, podem contar sempre com o nosso apoio - afirma Leandro. 
O encontro serviu como preparativo para as conferências estadual e nacional de economia solidária, que serão realizadas ainda neste ano. Durante todo o evento, ficaram em exposição para venda alguns dos produtos confeccionados por associações e cooperativas da região.