segunda-feira, 28 de janeiro de 2013



Após sobreviver a incêndio, jovem é internada com sintoma de pneumonia

Ingrid Goldani era funcionária da danceteria Kiss, em Santa Maria.
Ela está em coma induzido e internada em hospital de Porto Alegre.

Uma das funcionárias da danceteria Kiss, Ingrid Preigschadt Goldani, que estava no localdurante o incêndio que matou mais de 230 pessoas na madrugada do último domingo (27), foi hospitalizada em Porto Alegre e médicos a induziram ao coma com suspeita de pneumonia, de acordo com o pai da vítima, Flávio Goldani.
Ele afirmou ao G1 que Ingrid havia escapado sem ferimentos do incêndio, mas se sentiu mal na tarde de domingo, com sintomas de irritação na garganta.
Ela procurou o serviço médico de Santa Maria, que a encaminhou para a capital gaúcha. “A suspeita é que seja pneumonia, mas ela está bem, sem febre. Ela foi colocada em coma induzido porque eles [os médicos] viram que os pulmões estavam com algumas ‘coisas pretas’. Daí pegaram e a sedaram para que o pulmão dela fique melhor”, disse Goldani, referindo-se a partículas tóxicas da fumaça que podem ter sido aspiradas por Ingrid.
Arte - asfixia (Foto:  )
Segundo Goldani, a vítima partiu de Santa Maria no início da madrugada desta segunda-feira (28), com outros jovens que também estavam na boate de Santa Maria, em um voo para Porto Alegre. Ingrid está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Grupo Hospitalar Conceição.
Sobreviventes devem ficar atentos
De acordo com médicos ouvidos pelo G1, mesmo pessoas que não precisaram ser internadas após o incêndio -- ou seja, sobreviventes da tragédia que estavam na boate e aqueles que auxiliaram no resgate -- podem desenvolver doenças respiratórias graves dias após o incidente.

O pneumologista José Eduardo Afonso Junior, do Hospital Albert Einstein, de São Paulo, disse que a fumaça aspirada pelas vítimas do incêndio da boate Kiss deveria conter substâncias tóxicas liberadas devido à queima de materiais inflamáveis, como a espuma do isolamento acústico presente no teto do estabelecimento, atingida por faíscas de efeitos pirotécnicos segundo relatos de testemunhas
.


sexta-feira, 11 de janeiro de 2013


DH trabalha com duas linhas de investigação para morte de Jorge Selarón

 A Divisão de Homicídios (DH) trabalha com duas linhas de investigação para a morte do artista plástico chileno Jorge Selarón, de 65 anos, nesta quinta-feira, na Escadaria do Convento de Santa Teresa, na Rua Manuel Carneiro: homicídio ou suicídio. O laudo da perícia realizado no local fica pronto nesta sexta-feira. O corpo do pintor e ceramista estava com marcas de queimaduras quando foi achado. 

Ao lado da vítima foram encontradas duas latas de solvente de tinta e um isqueiro. O pintor estaria sendo ameaçado de morte por um ex-colaborador de seu atelier e chegou a registrar queixa contra o agressor na 7ª DP (Santa Teresa). A DH procura, agora, Paulo Sérgio Rabello, o ex-colaborador, para prestar depoimento sobre o caso.

Vizinhos acreditam na possibilidade de suicídio. De acordo com eles, Selarón pediu, na noite de terça-feira, um remédio pois queria se matar por conta das ameaças que estaria sofrendo. Selarón é autor do mosaico de cores que transformou a Escadaria do Convento de Santa Teresa num grande ponto de visitação turística.

Cidadão honorário do Rio

O artista plástico chileno Jorge Selarón, radicado no Rio desde 1983, iniciou a restauração da escadaria em 1990. Com 215 degraus, todos revestidos com mosaicos de azulejos e cerâmicas coloridos, a escada é um dos principais pontos turísticos da cidade.O local é frequentado por milhares de pessoas, principalmente nos fins de semana.Em 2005, a Escadaria Selarón foi tombada pela prefeitura. No mesmo ano, Jorge Selarón recebeu o título de cidadão honorário do Rio. 

 Comoção nas redes sociais

A morte de Jorge Selarón agita as redes sociais na manhã desta quinta-feira. O assunto já está no "trending topics", a lista dos assuntos mais comentados do Twitter. O apresentador Marcelo Tas usou o microblog para lamentar a perda. "Selarón, artista chileno que ajudou a reinventar a Lapa, é assassinado. O Rio fica mais triste e injusto".  Muitos internautas também se mostraram indignados. "Que tristeza, o grande artista da Lapa não merecia esse fim", escreveu @orfaodosindico no Twitter.



terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Rio: Prefeita proíbe churrasco com farofa nas praias de Angra dos Reis
Churrasco está proibido nas praias de Angra dos Reis (Foto: Divulgação)
Churrasco está proibido nas praias de Angra dos Reis
O churrasco com farofa está proibido por decreto nas praias das ilhas de Angra dos Reis, inclusive na Ilha Grande. A prefeita da cidade, Conceição Rabha, anunciou neste sábado que vai não só manter como ampliar o decreto do ex-prefeito Tuca Jordão, que proíbe banhistas de fazerem churrasco em todas as praias do município. Os infratores poderão ser enquadrados por crime ambiental, uma vez que todas as ilhas da cidade estão situadas em áreas de preservação.
- Vamos manter o que é bom. Atividades como churrasco na praia degradam o meio ambiente. Não podemos permitir este tipo de comportamento. Não é este tipo de turismo que Angra dos Reis precisa. Precisamos de regras para o bom convívio e o decreto disciplina isso – disse a prefeita.
O decreto, que começou a ser posto em prática no réveillon, será ampliado com a ação de mobilizadores ambientais que vão atuar nas praias distribuindo saquinhos de lixo:
- O churrasco não é uma atividade salutar em ambientes que precisam ser preservados e que são procurados por pessoas em busca de lazer. Não vamos proibir alimentos como sanduíches naturais e outros que não agridam o meio ambiente. Churrasco não – afirmou a prefeita.
A operação especial vem mobilizando agentes da Secretaria do Meio Ambiente, da Turisangra, da Capitania dos Portos e da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Os fiscais usam a estratégia de chegar nas praias antes dos banhistas para impedir que eles armem churrasqueiras.
As equipes também estão controlando os acessos para evitar a superlotação, principalmente nas ilhas de Cataguás e na Gipoia (Praia das Flechas), que ficam mais próximas do continente e são as preferidas pelos banhistas que contratam pequenas embarcações. Em Cataguás e Flechas, só 300 pessoas podem permanecer em cada uma delas.
A operação de ordem urbana está começando nas rodovias de acesso a Angra dos Reis. Os agentes da PRF param os ônibus de turismo piratas, em sua maioria procedentes da Baixada Fluminense. A Capitania dos Portos fiscaliza a documentação e as condições de segurança das embarcações, mas os militares não podem atuar na repressão ao transporte irregular.
As equipes de fiscalização começaram a atuar também, logo depois do réveillon, na Praia do Dentista, na Ilha da Gipoia, onde chegam a ficar fundeadas de 300 a 500 lanchas nos fins de semana. Na Ilha Grande, os fiscais reprimem o comércio irregular na Vila do Abraão e a atracação de embarcações de aluguel não autorizadas. A ilha esperava receber dez mil pessoas na virada do ano.
Já em Cabo Frio, na Região dos Lagos, uma nova campanha será feita no dia 12 para evitar que os banhistas deixem lixo nas praias do Peró e das Conchas, que viam na Área de Proteção Ambiental do Pau-Brasil e no Parque da Costa do Sol. Organizado pela Ondas do Peró, formada por surfistas e ambientalistas, a campanha vai mobilizar centenas de voluntários que vão conscientizar os banhistas para não deixar lixo na praia.
- Vamos mostrar os problemas causados pelo lixo nas praias. Os detritos são uma das principais causas da morte dos animais marinhos – disse o surfista Marcelo Valente. (O Globo)

Reforma trabalhista é aprovada no Senado; confira o que muda na lei As alterações mexem em pontos como férias, jornada de trabalho, remun...